Por uma ‘casa’ bem arrumada

0
256

 

Me relaciono com vários negócios de impacto
Não só pelo entusiasmo com o tema
mas também de forma comercial

E infelizmente é super comum me deparar com
diversos erros na interação comercial

Troca de interlocutores
Perda de memória nas interações
Lentidão administrativa
Fundadores mais focados no ‘go to market
e deixando a ‘casa’ em segundo plano

Ser um negócio de impacto não passa por também
ser ‘fera’ na área comercial?

Infelizmente não é o que parece em muitos casos

Para mim, o que mais pega mesmo
é a falta de meio de campo para dentro da organização

O troca-troca de equipe
(turnover alto, talvez pela dificuldade de pagar salários
mais atrativos e baixo desenvolvimento dos times)
exige dos gestores e fundadores muita energia de gestão

Sim, isso mesmo
fazer gestão ‘para dentro’
e fazer as engrenagens rodarem de forma suave

Fazer gestão dá um trabalho danado
mas precisa ser feito

Optar por delega-la à ‘moça do administrativo’ é um erro fatal
(que tanto criticamos no mundo das ONGs)

Você negocia um contrato com o empreendedor
Encaminhamentos administrativos são pactuados
E, zzzzz
Séculos de espera para acontecer

Se não há recursos pra pagar um bom gestor
então resta aos fundadores essa ‘tarefa chata’ e menos sexy

Só criar um slack ou trello não resolve a questão
Eles são meras ferramentas
E muitas vezes, não devem ser ‘empurradas’ aos parceiros e clientes
‘Ah, como assim vocês não usam o trello?!’

Enquanto as capas de revistas
e os eventos
forem mais interessantes e atrativos
aos fundadores

Mais cabeças seguirão batendo na ‘cozinha’
Uma casa bem arrumada é o primeiro passo
para qualquer sonho de escala

E nunca é demais lembrar que
arrumar a casa é tarefa sem fim
gostemos ou não dela.

Artigo anterior“Eu Apoio” (ep. 1) ARTEMISIA
Próximo artigo“Eu Apoio”(ep. 2) DIN4MO
Fabio Deboni
Engenheiro Agrônomo e Mestre em Recursos Florestais pela ESALQ/USP. Atuou 8 anos no Governo Federal na gestão de polícas públicas junto a diversos órgãos federais. É Gerente Executivo do Instituto Sabin desde 2011, responsável pela gestão do investimento social do Grupo Sabin. Atualmente coordena a Rede Temática de Negócios de Impacto no âmbito do Gife, onde é conselheiro. Fábio é autor de três livros sobre o tema: “Investimento Social Privado no Brasil: tendências, desafios e potencialidades” (2013), “Reflexões contemporâneas sobre Investimento Social Privado” (2017) e "Impacto na encruzilhada" (2019)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome